SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Mais de 250 procedimentos de hemodinâmica são feitos no HGE

Imprimir esta Notícia
dsc09365

Texto e Fotos: Neide Brandão

O aposentado Alonso de Oliveira, 70 anos, espera tranquilamente na Unidade de Dor Torácica (UDT) do Hospital Geral do Estado (HGE) a hora marcada para o seu procedimento na Hemodinâmica da unidade hospitalar. Mais de 250 procedimentos de hemodinâmica cardíaca foram realizados nos quatro meses do serviço no HGE.

A assistência prestada aos alagoanos que necessitam ser submetidos ao cateterismo e angioplastia está garantida no Hospital Geral do Estado (HGE) e com maior agilidade. Isso porque antes, os pacientes com diagnóstico de infarto agudo no miocárdio (IAM) tinham que aguardar na UDT a chegada de uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para ser levado ao Hospital do Coração (HCor), onde eram oferecidas as técnicas de desobstrução dos vasos sanguíneos, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Agora, basta o usuário ser transportado até a unidade que está localizada dentro do próprio hospital.

Por isso, Alonso está tranquilo. Ele sabe que sua assistência está garantida. O aposentado comentou que confia na equipe médica que o assiste nas duas semanas que vem sendo tratado de um infarto. O pai de cinco filhos, morador do município de Cacimbinhas, sentiu um desconforto estomacal quando estava em casa, com a dor já instalada foi levado da unidade de saúde da região para o HGE.

Em um ano de parceria pioneira entre a Sesau e o HCor, 255 pacientes do HGE foram transportados pelo Samu para a hemodinâmica do hospital particular. E desde a inauguração da maior unidade pública de Alagoas – o HGE – até o dia 27 de outubro, 252 usuários do SUS tiveram acesso à técnica mais avançada do mundo nos exames e tratamentos cardiovasculares, com destaque para a realização de diagnósticos e procedimentos terapêuticos utilizando a técnica do cateterismo.

Josenilda Amâncio, de 60 anos, e Cristiano Aleluia, de 40, são dois dos beneficiados com o tratamento. Lado a lado nos leitos da UDT, os dois se conheceram na unidade hospitalar e têm compartilhado de uma amizade sincera e cheia de sorrisos.

Josenilda, diabética e hipertensa, trabalhou anos em uma unidade de saúde, onde se aposentou. Ela percebeu que estava enfartando e orientou o marido como proceder para levá-la até o HGE. Vaidosa e cheia de alegria ela se recupera do susto que viveu.

Cristiano Aleluia enfartou após um dia de trabalho, enquanto dormia. Como é motorista estava no interior alagoano com uma equipe de tv que gravava um documentário. Foi trazido para o HGE através do Samu aéreo e realizou o procedimento de angioplastia de imediato.

“Senti uma dor no peito muito forte, logo suspeitaram do infarto e me encaminharam para o HGE. O atendimento foi fantástico, rápido, eficaz. Já não sinto dores, porém sei que precisarei adotar novos hábitos de vida. Se não fosse esse serviço, eu poderia ter morrido”, falou ele.

Tratamento de alta complexidade

A angioplastia coronária é um procedimento realizado para a desobstrução das artérias do coração. Essa intervenção, feita através de cateter, é a melhor e mais completa forma de se tratar o IAM.

A hemodinamicista Luciana Constant referiu sobre a experiência no SUS com uma área para tratamento de urgência cardíaca do porte da que está no HGE. “Estamos oferecendo o melhor tratamento do IAM, que é a angioplastia primária, isso para uma população que antes era desassistida nesse aspecto. É uma experiência extremamente gratificante. Estamos salvando muitas vidas”.

Adeildo Alves (58), quase faleceu devido a um infarto. Ele foi diagnosticado como um paciente de altíssimo risco, que foi rapidamente diagnosticado e submetido ao procedimento que mudou o curso natural da doença.

“Logo após sua entrada no HGE, o paciente teve uma parada cardiorrespiratória, sendo submetido a reanimação pelos profissionais da UDT. Ele foi encaminhado à Hemodinâmica para a realização de um cateterismo cardíaco de urgência que mostrou uma obstrução severa com sinais de instabilidade na artéria descendente anterior. Realizamos uma angioplastia primária com implante de um stent, sendo o paciente extubado poucas horas depois e recebendo a alta hospitalar em cinco dias, com excelente condição clínica”, contou a especialista Luciana Constant.

Pioneirismo

Em 2015, 2.272 pacientes foram atendidos no HGE com IAM, um número pouco superior quando comparados aos do ano anterior, 2.251. De janeiro a outubro deste ano, a Coordenação de Vigilância Epidemiológica do HGE já registrou 1.198 internamentos de pacientes vítimas de infarto.

A unidade de hemodinâmica do HGE é a primeira instalada em hospital público em Alagoas e presta atendimento de urgência para pacientes infartados do SUS. Ela oferece procedimentos de alta complexidade, como a angioplastia primária, o cateterismo cardíaco, marca-passo e implantes de stent coronários. A ala foi idealizada por meio de um convênio entre a Sesau, a Fundação Cardiovascular de Alagoas (Cordial) e o HCOR-AL.

relacionadas

CIB