SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Construção de hospitais mostra um novo momento na saúde em Alagoas

Imprimir esta Notícia

Repórter: João Victor Barroso
Fotos: Carla Cleto

Ampliar e melhorar a assistência médico-hospitalar em Alagoas tem sido prioridade da atual gestão do Governo estadual. A construção do Hospital da Mulher, do Hospital de Clínicas, da Maternidade de Risco Habitual e do Hospital de Porto Calvo vai garantir um atendimento mais humanizado para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Quando essas quatro unidades hospitalares estiverem concluídas, os pacientes do SUS terão mais 540 leitos para diversos atendimentos, desde os clínicos, cirúrgicos e materno-infantil. Com o incremento desses leitos também vamos conseguir reduzir o déficit que existe em Alagoas”, afirmou a secretária de Estado da Saúde, Rozangela Wyszomirska.

A titular da saúde estadual adiantou que o projeto do Hospital de Clínicas já foi concluído e o edital para a licitação deverá ser lançado no início de janeiro. “O hospital será construído no bairro do Farol, onde fica o Hospital Portugal Ramalho, e irá prestar um atendimento exclusivo para adultos nas mais diversas especialidades, com foco especial para as pessoas com sofrimento mental”, salientou a secretária.

Hospital da Mulher

O Hospital da Mulher terá 180 leitos, atendendo casos de urgência e emergência, clínica materna, pediátrica e médica e procedimentos de alta complexidade dos pacientes que residem na capital e nas regiões Norte e Zona da Mata do Estado. A unidade hospitalar será erguida no bairro do Tabuleiro do Martins, parte alta de Maceió.

“Esse hospital irá contar com vários serviços especializados, dedicados exclusivamente às alagoanas e trazendo uma nova realidade para a assistência médica e saúde da mulher”, exaltou Rozangela Wyszomirska, ao explicar que no mesmo terreno também será construído o Hospital da Criança, com 60 leitos, com um atendimento específico e diferenciado para os pequenos.

Maternidade de Risco Habitual

A primeira maternidade de risco habitual pública de Alagoas terá oito andares, com 100 leitos para atendimentos clínicos, pré-parto, parto, pós-parto e internação, além de contar com um centro de diagnóstico por imagem, ambulatório ginecológico e obstétrico, pediatria, planejamento familiar, auxílio às gestantes e aos recém-nascidos de risco.

“Esse é um novo momento para a assistência materno-infantil em Alagoas. Além da construção dos hospitais da Mulher e da Criança, teremos um Complexo Maternal com a Maternidade de Risco Habitual, tratando as mulheres que não tiveram complicações na gestação, a Maternidade Escola Santa Mônica, para atender os casos de alto risco , a Casa da Gestante, Bebê e Puérpera”, explicou Rozangela Wyszomirska.

Regionalização

Prezando pela regionalização da saúde em Alagoas, a secretária afirmou que a população do interior não foi esquecida pela atual gestão. “O Hospital de Porto Calvo já  está com o projeto finalizado e deve ter o edital de licitação publicado em janeiro”, afirmou.

“A população de Porto Calvo e dos municípios circunvizinhos irão ganhar uma unidade hospitalar com, aproximadamente, 110 leitos para atender as áreas de pediatria, neonatal, casos clínicos e cirúrgicos, além da construção no próprio hospital de um centro de referência em diagnóstico”, finalizou Wyszomirska.

Outro hospital que já está com o projeto iniciado e em andamento será construído na cidade de Viçosa. Além da reforma e ampliação dos hospitais em Delmiro Gouveia e em União do Palmares, atendendo, também, a população das cidades próximas a esses quatro municípios.

relacionadas