SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Vigilância discute medidas para apoiar municípios em situação de emergência

Imprimir esta Notícia

Ascom/Sesau

Durante reunião na Superintendência de Vigilância em Saúde (Suvisa), foi discutida a situação dos municípios declarados em situação de emergência, conforme decretado do governador Renan Filho (Decreto N° 52.216 de 20 de fevereiro de 2017).

Na oportunidade, os responsáveis pelos vários setores que integram a vigilância em saúde (vigilância epidemiológica, vigilância em saúde ambiental, vigilância sanitária, Lacen e Cievs), junto com a atenção primária em saúde, trouxeram os principais problemas desses municípios seja em relação às doenças diarreicas, que têm uma relação direta com o consumo de água imprópria, seja em relação às doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, considerando que a escassez de água leva a população a acumular o produto, ampliando, com isso, a oferta de criadouros para o vetor.

Um cronograma de reuniões regionalizadas com os 77 municípios foi montado, envolvendo a vigilância epidemiológica e a atenção básica, para tratar do enfrentamento das diarreias, quando serão discutidas questões relacionadas ao uso do hipoclorito, ao atendimento do paciente, com a coleta e envio de amostras, além de identificar dificuldades específicas que mereçam uma atenção mais dirigida da equipe técnica estadual.

A vigilância em saúde ambiental também definiu um cronograma de visitas do laboratório móvel como forma de implementar o monitoramento da qualidade da água de consumo humano. Nota informativa sobre a situação das doenças diarreicas e a qualidade da água nesses municípios será preparada para divulgação o mais rápido possível. O Lacen também irá preparar nota com orientações sobre a coleta, acondicionamento e envio de amostras clínicas e ambientais para um monitoramento da situação com mais qualidade.

Foi vista também a importância e a necessidade em, mais uma vez, buscar parceria com o Cremal e o Coren tendo em vista um maior envolvimento desses profissionais para o atendimento e o tratamento oportuno dos pacientes, além da notificação dos casos e surtos, bem como a coleta de material para o diagnóstico laboratorial.

A área de controle de vetores identificará dentre os 77 municípios aqueles em situação mais problemática em relação ao índice de infestação do mosquito para uma atuação direta junto às equipes de campo, de modo a prevenir uma possibilidade bastante presente que é o aumento de casos de doenças relacionadas ao mosquito.

A Vigilância Sanitária irá intensificar as inspeções de carros-pipa e, em conjunto com a Vigilância Ambiental, irá realizar blitz para detectar veículos em situação irregular, além de buscar a parceria da Polícia Rodoviária Federal nessa fiscalização. Reunião com pipeiros será agendada, com o intuito de sensibilizá-los para o problema, a participação e o compromisso em entregar à população uma água de qualidade.

Para a superintendente da Suvisa, essas são iniciativas que já fazem parte da rotina do trabalho permanente no campo da vigilância em saúde, mas em função da situação, necessitam de incremento e fortalecimento. “A SUAS, por meio da área de assistência hospitalar, será também envolvida, além do Cosems, estreitando um apoio que já faz parte da nossa rotina, vez que trabalhamos com objetivos comuns, voltados essencialmente a prevenir situações que podem acontecer quando se agrava a escassez de água em nossas cidades” pontuou Cristina Rocha.

Importante reforçar a necessidade da permanente vigilância, tendo o Cievs como referência para a comunicação sobre eventos e situações inusitadas, por meio do plantão permanente para o recebimento de notificações de modo a permitir às várias equipes do estado e dos municípios a adoção oportuna de providências. O CIEVS recebe notificações por meio:

  • Do plantão 24 horas pelo telefone (82) 98882-9752;
  • De domingo a domingo, no horário de 8 às 17 horas, pelo telefone (82) 3315-2059, ou
  • Pelo e-mail: notifica@saude.al.gov.br,

relacionadas