SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Vigilância orienta como acondicionar corretamente o pescado para a Páscoa

Imprimir esta Notícia
 
 
Repórter: João Victor Barroso
Repórter Fotográfica: Carla Cleto

A Semana Santa é somente no próximo mês, porém existem pessoas que gostam de antecipar e comprar os pescados antes da Páscoa, já que os preços estão mais acessíveis. Para aqueles que seguem essa regra, devem ser adotadas algumas medidas para assegurar a conservação do produto, segundo orienta o gerente da Vigilância Sanitária Estadual, Paulo Bezerra.

De acordo com ele, para a população não desenvolver problemas de saúde por causa do pescado da Semana Santa, o primeiro passo deve ser na escolha do produto. “O que irá determinar a qualidade do produto no momento da compra, em qual a população deve ficar atenta para os aspectos que o pescado apresenta nos supermercados, nos mercados públicos, nas feiras livres ou nas balanças”, salienta, enfatizando que necessariamente não há relação com o congelamento.

“Na hora de comprar os peixes, o consumidor deve atentar para os olhos do animal, que devem estar salientes e translúcidos, as guelras sem limo e com uma cor avermelhada, também é importante fazer uma leve pressão com o dedo na superfície do produto e a pele deve voltar ao mesmo nível rapidamente”, diz o gerente, ao destacar outra característica que deve ser observada: “As escamas não devem soltar com facilidade do produto, caso contrário, esse peixe já entrou em processo de deterioração”.

Bezerra ainda lembra que os pescados podem durar até três meses congelados e devem sem acondicionados em uma temperatura entre – 18ºC e – 32ºC. “Em até duas horas deve ser feito o congelamento dos produtos, que devem ser cortados em postas e colocados em sacos transparentes específicos para congelar e, com o mínimo de ar possível nessa embalagem, por ser prejudicial para o congelamento”, informa.

Descongelamento

Outra maneira de manter todas as propriedades dos alimentos como o gosto e o cheiro é na hora do descongelamento onde a pessoa deve retirar as peças do freezer e colocar na geladeira, dentro de uma vasilha, para o descongelamento ser feito de maneira uniforme. Bezerra também orientou que não é recomendado descongelar e congelar o alimento diversas vezes que pode levar a perda das características do produto.

O gerente da Vigilância Sanitária Estadual também explica os cuidados que devem ser adotados com camarão e o sururu. “Com esses dois produtos, a pessoa deve pegar uma unidade de cada e apertar de leve para sentir a textura dos itens, que lembra a textura de borracha. Se com a pressão, os produtos esmigalharem, eles já estão em processo de decomposição”, salienta.

“Outra característica que deve ser observada no sururu é a cor. Se o consumidor perceber uma cor amarela muito forte naquele alimento foi adicionado corante e não deve ser considerado como um bom produto, já que qualquer aditivo externo ao alimento não é saudável. No camarão o cliente deve segurar a cabeça e a cauda do animal, puxando levemente. É necessário olhar as pernas e, se tiver manchas pretas, o item já está velho” salienta o gerente

relacionadas