SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Campanha de vacinação contra a Influenza termina dia 26 de maio

Imprimir esta Notícia
Repórter: Marcel Vital
Repórter Fotográfico: Olival Santos

Iniciada no último dia 17 de abril, a campanha de vacinação contra a Influenza prossegue até o próximo dia 26. Nesta edição estão sendo vacinadas crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas até 45 dias após o parto, trabalhadores de saúde, idosos a partir de 60 anos, povos indígenas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, além de adolescentes e jovens entre 12 e 21 anos que estão cumprindo medida socioeducativa, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e professores.

Para se vacinar, segundo o Programa Nacional de Imunização (PNI), os trabalhadores da saúde devem portar o contracheque ou documento que comprove a atuação profissional. No caso dos professores é necessário portar o contracheque. Já os portadores de doenças crônicas não transmissíveis precisam apresentar uma prescrição médica, especificando o motivo de indicação da vacina. No caso das crianças menores de cinco anos, os pais devem apresentar o cartão de vacinação para comprovar a idade.

Com relação às gestantes a partir de 12 semanas, não é necessário comprovação. “As puérperas devem portar, além do cartão de vacinação, a certidão de nascimento do bebê ou documento do hospital onde ocorreu o parto”, orienta a técnica do PNI em Alagoas, Arlete Farias, ao informar que cada município realiza a sua estratégia particular de vacinação, que pode ocorrer nos postos fixos e volantes.

Contraindicação

A técnica do PNI informa que a vacina contra a Influenza não deve ser administrada em pessoas com histórico de reação anafilática prévia em doses anteriores, bem como, naquelas que tenham alergia a qualquer componente da vacina ou ao ovo e seus derivados. No caso de doença agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se adiar a vacinação até a resolução do quadro, com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença.

“Como, em média, o organismo leva de duas a três semanas, após a vacinação, para criar os anticorpos que geram a proteção contra a gripe, a orientação é fazer a imunização no período de campanha, garantindo a proteção antes do início do inverno” destaca Arlete Farias.

Cobertura vacinal

De acordo com a técnica, do início da campanha, em 17 de abril, até agora, já foram vacinadas 187.746 pessoas, o que corresponde a 28,94% do público-alvo estipulado pelo Ministério da Saúde, que é de 90%, o equivalente a 648.688 pessoas.

A vacina é destinada a crianças de seis meses a menores de cinco anos (23,88%), gestantes (30,18%), puérperas (29,11%) [até 45 dias após o parto], trabalhadores de saúde (47,34%), idosos (29,23%) [a partir de 60 anos], povos indígenas (13,94%), população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens entre 12 e 21 anos sob medida socioeducativa e pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis.

relacionadas