SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Gestores discutem propostas para Conferência de Vigilância em Saúde

Imprimir esta Notícia

Repórter: Marcel Vital

Repórter Fotográfica: Carla Cleto

Gestores da I Macrorregião participaram, nesta quarta-feira (9), de uma reunião preparatória para a I Conferência de Vigilância em Saúde, que tem como propósito discutir propostas e diretrizes para a Formulação da Política Nacional de Vigilância em Saúde. Promovido pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), o evento ocorreu no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Alagoas (OAB/AL), localizado no bairro Jacarecica, em Maceió.

De acordo com Cristina Rocha, superintendente de Vigilância em Saúde da Sesau, a reunião teve como intuito preparar os seus participantes para a Conferência Estadual de Vigilância em Saúde, que vai ocorrer nos dias 11 e 12 de setembro, no Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso, no bairro Jaraguá, em Maceió.

Cada município deverá eleger quatro delegados, com número igual de representantes, por categoria, conforme a Resolução 453, expedida pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS). Arapiraca, no entanto, deverá eleger 12 delegados e Maceió vai eleger 24, representando as categorias de usuário, trabalhador e gestor do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Essas propostas que foram discutidas hoje, tiveram como objetivo melhorar, aperfeiçoar e, principalmente, contribuir para uma melhor Vigilância em Saúde no SUS. Deste modo, as propostas que saíram daqui e da reunião com os gestores da II Macrorregião, que irá ocorrer na próxima quarta-feira [16], serão levadas para a Conferência Estadual de Vigilância em Saúde. E, ao final, as propostas irão para a Conferência Nacional de Vigilância em Saúde, que vai ocorrer de 21 a 24 de novembro”, explicou Cristina Rocha.

Ainda de acordo com a superintendente de vigilância em saúde da Sesau, a realização da reunião preparatória para a I Conferência Estadual de Vigilância em Saúde “representa um momento histórico, porque a Sesau está trazendo a sociedade para discutir as questões relativas à Vigilância em Saúde. Isso porque, ela salva as pessoas no dia a dia, ao impedir que as doenças se disseminem, protegendo um doente para que ele não transmita a doença, assegura o monitorando da qualidade da água, bem como, fiscaliza se o alimento está em boas condições para consumo humano”, ressaltou. 

Temas Discutidos – Durante a reunião, foi discutido o papel da vigilância em saúde na integralidade do cuidado individual e coletivo em toda a Rede de Atenção à Saúde. Outro tema debatido foi o acesso e a integração das práticas e processos de trabalho das Vigilâncias Epidemiológicas, Sanitária, em Saúde Ambiental e do Trabalhador, além dos laboratórios de saúde pública.

Para José Ailton Buarque, representante do Conselho Municipal do Direito do Idoso de Capela, a reunião preparatória para a I Conferência de Vigilância em Saúde foi importante para esclarecer dúvidas e aprender com os outros participantes. “Durante o debate, pudemos trocar ideias, mostrar as diferenças entre as gestões, avaliarmos as propostas e definirmos novos projetos”, disse.

Recursos Financeiros – As despesas com a organização geral para a realização da Conferência Estadual de Vigilância em Saúde caberão à dotação orçamentária consignada pela Sesau. A pasta arcará com as despesas referentes à alimentação de todos delegados e convidados, além da hospedagem dos delegados do segmento de usuários.

Já as despesas com o deslocamento dos delegados e conselheiros municipais de saúde até Maceió, serão de responsabilidade da Secretaria de Saúde da cidade de origem. Enquanto as despesas com a Conferência Estadual de Vigilância em Saúde serão custeadas pelo Fundo Estadual de Saúde (FES).

relacionadas