SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Hospital Antenor Serpa passa a realizar exame de endoscopia

Imprimir esta Notícia
Repórter: Marcel Vital
Repórter Fotográfica: Carla Cleto

O Hospital e Maternidade Antenor Serpa, no município de Delmiro Gouveia, no Alto Sertão alagoano, inova em tecnologia com a aquisição de um aparelho moderno para a realização da Videoendoscopia Digestiva Alta. É o primeiro hospital público estadual a ofertar o serviço pelo Sistema Único de Saúde (SUS), para a investigação de inúmeros sintomas digestivos que podem estar associados à doença de refluxo, gastrites, duodenites e tumores.

Os profissionais da unidade hospitalar, pertencente à 10ª Região de Saúde e que é referência nos atendimentos clínico, pediátrico, obstétrico e de urgência e emergência, já iniciaram, com sucesso, o atendimento personalizado, seguro e humanizado. “Este é um método ímpar na detecção de processos inflamatórios, úlcera ou tumores (malignos e benignos) do esôfago, estômago e duodeno. Ele será fundamental para avaliar a eficácia no tratamento instituído, bem como para diagnosticar lesões e condições pré-cancerígenas, no atendimento aos sertanejos alagoanos”, explicou Ygo Costa, supervisor do Hospital e Maternidade Antenor Serpa.

Juntamente com a Videoendoscopia Digestiva Alta, o Hospital e Maternidade Antenor Serpa irá ofertar, nas próximas semanas, exames de ultrassonografia e raios-X, prestando um grande serviço à comunidade. “Com a introdução destes novos procedimentos no hospital, muitos pacientes serão beneficiados por não necessitarem migrar para outros municípios, deixando de aguardar muito tempo para que o tratamento seja realizado, diminuindo os riscos de complicações”, ressaltou o supervisor.

 

Mais investimentos

Com a parceria que tem sido firmada com o município de Delmiro Gouveia, o hospital está passando pela sua segunda fase de modernização. Para isso, foram entregues 41 peças instrumentais e 56 equipamentos de mobília. Segundo Ygo Costa, os instrumentos e toda mobília vão mudar a realidade do hospital.

“Esta é a segunda leva de materiais que recebemos. Entendemos que não tem como nossos profissionais desenvolverem um bom trabalho sem as ferramentas adequadas. São itens que melhoram as acomodações, a atuação no centro cirúrgico e, principalmente, o atendimento à população”, concluiu.

relacionadas

CIB