SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Curso prepara 34 profissionais de saúde para o Samu Aeromédico

Imprimir esta Notícia
 
 
 
Repórter: João Victor Barroso
Repórteres Fotográficos: Carla Cleto e Thiago Henrique
 

“Voar para poder salvar”. Esse é um dos lemas utilizados pela equipe aeromédica do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Alagoas. E para aumentar o número de salvamentos, o Samu Alagoas capacitou 34 profissionais de saúde.  Para isso foi ministrado o Curso de Operador em Suporte Médico, iniciado na terça-feira (23), e encerrado neste domingo (28). Médicos e enfermeiros do Samu Maceió e Arapiraca participaram na parte prática e teórica do treinamento.

Segundo o major Dárbio Alvim, supervisor do Samu Alagoas, 46 profissionais se inscreveram no curso e, durante o prosseguimento dos treinamentos, 12 pessoas desistiram. “Terminamos o primeiro curso de operador de suporte médico com 34 profissionais capacitados, e agora habilitados a prestarem o serviço de excelência oferecido pelo Samu Aeromédico. Os socorristas passaram por aulas teóricas e treinamentos práticos, para pode suportar o que é exigido durante as ocorrências”, disse o supervisor.

Durante a parte prática, foi utilizado o helicóptero Falcão 05, onde foram simuladas ações no Hangar do Manal, localizado na parte alta da capital alagoana. De acordo com o coronel André Madeiro, comandante da Chefia Aérea Especial de Segurança Pública (Caesp), o treinamento é uma exigência da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Por meio dele, os alunos passaram por orientações sobre como se aproximar da aeronave com o motor ligado, como embarcar e desembarcar da aeronave em solo, ou pairada no ar.

“Além de saber os instrumentos que compõem a aeronave e o funcionamento dela, toda a tripulação precisa saber como se portar durante o voo, com o objetivo de que não ocorram acidentes. Se os profissionais não sabem, por exemplo, como desembarcar do helicóptero, podem cair da aeronave e se machucar”, salientou o coronel.

André Madeiro explicou também por que os futuros socorristas do Samu Aeromédico devem saber como se aproximar corretamente do helicóptero. “É necessário sempre fazer essa ação pela frente da aeronave, mantendo contato visual com a tripulação, que está no interior da aeronave. E o maior alerta é para nunca se aproximar pela parte da cauda, pois muitos acidentes acontecem nessa área, uma vez que o motor está ali”, explicou.

Durante as aulas práticas também foram passadas noções de rapel, técnica utilizada para salvamentos em locais de difícil acesso, onde o helicóptero não possa pousar. Os participantes do curso também tiveram aulas de nós e amarrações.

Socorristas Dedicados 

Dos profissionais de saúde que participaram do curso, está o médico do Samu Maceió, Simão Tavares, que já faz parte da equipe do aeromédico desde 2013. “Todos os médicos e enfermeiros que já fazem parte do serviço também participaram do curso, exigido pela Anac. As situações que vimos nesses dias, são vivenciadas cotidianamente por nós. Mesmo com quase cinco anos no aeromédico, é sempre bom estar passando por cursos como esse, pois executamos um trabalho de risco, e que não podemos errar quando estamos lidando com vidas”, exaltou. 

Médicos e enfermeiros do Samu Arapiraca também foram capacitados. Entre os participantes está a enfermeira Camilla Veiga, que já faz parte do Samu há dois anos e meio. “Sempre sonhei em trabalhar no Samu, e quando soube dessa possibilidade de fazer parte do aeromédico, me candidatei. Os treinamentos foram intensos, mas os instrutores têm paciência com todos os socorristas, nos incentivando a dar o nosso máximo e concluir o curso com êxito”, relatou.

relacionadas

CIB