SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Assédio moral é discutido em palestra para servidores do Samu

Imprimir esta Notícia

 

Repórter: João Victor Barroso

Repórter Fotográfico: João Victor Barroso

 

No mês de combate ao assédio moral, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência em Alagoas, trouxe para os servidores da Central Maceió uma palestra sobre o assunto. As discussões aconteceram nesta quinta-feira (17) no auditório do Núcleo de Educação Permanente do Samu Maceió, no bairro do Farol.

De acordo com Candice Vasconcelos, psicóloga do setor de saúde ocupacional do Samu, o assédio moral é feito por palavras ou atos repetidas vezes fazendo um terror psicológico com intenção de prejudicar o funcionário.  “Conversamos sobre a importância dos servidores saberem identificar possíveis situações de assédio moral que eles possam estar sofrendo ou cometendo e não sabiam. Por causa de situações envolvendo essa prática, os servidores podem desencadear várias doenças ocupacionais como ansiedade, crises de pânico, síndrome do estresse pós-traumático e até mesmo transtornos depressivos”, afirmou a psicóloga.

Existem três tipos de assédio moral o descendente, é o tipo mais comum e é cometido pelo superior hierárquico, o ascendente que acontece o inverso com os funcionários assediando o superior, e o misto, que ocorre entre os profissionais de mesma hierarquia.

A palestra também foi ministrada por Zélia de Araújo, enfermeira do trabalho da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), que falou sobre o que as pessoas devem fazer quando em uma situação como essa.

“Algo fundamental é ter testemunhas que presenciaram os atos de assédio moral, procurar primeiramente o setor de recursos humanos e caso não seja resolvido, o profissional deve procurar a justiça trabalhista para que tomem as devidas providências”, explicou a enfermeira.

relacionadas

CIB