SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Bases Descentralizadas do Samu Maceió participam de Programa de Desenvolvimento de Líderes

Imprimir esta Notícia

 

Repórter: João Victor Barroso
Repórter Fotográfico: João Victor Barroso

Cada uma das 16 Bases Descentralizadas da Central Maceió do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) em Alagoas possui um coordenador, gerenciando todos os recursos necessários, desde as equipes de saúde, até os materiais disponíveis, para levar uma melhor assistência para a população da região. Pensando nisso, o Núcleo de Educação Permanente (NEP) do Samu Maceió, promoveu um Programa de Desenvolvimento de Líderes, que foi encerrado nesta quinta-feira (29), no bairro do Farol em Maceió.

A capacitação foi uma parceria com a Escola de Governo de Alagoas e teve uma carga horaria total de 50 horas, divididos em dois módulos, abordando os seguintes temas o comportamento organizacional e estilos de liderança, o reflexo na formação de equipes, inteligência emocional, noções de formação da personalidade, a comunicação no trabalho em equipe, e competências de liderança na gestão.

De acordo com Bresser Diniz, assessor técnico do NEP do Samu Maceió, esse curso foi pensado em cima de uma demanda feita pelos próprios coordenadores das bases descentralizadas. Já que, todos os coordenadores possuem um perfil técnico, por serem formados em Enfermagem. Mas essa atribuição de gerência o Samu no interior vai além.

“Por isso esse programa foi elaborado para desenvolver as competências de liderança nesses profissionais aplicadas a gestão e a assistência, otimizando os processos de comunicação, relacionamento interpessoal, gestão de conflito e de tempo. Garantindo assim, uma equipe comprometida e a melhorando o tempo-reposta nas ocorrências”, explicou o assessor.

O programa também contou com a participação de duas palestrantes convidadas as consultoras Gleide Vilela, que falou sobre gestão do tempo, e Karla Pedrosa, com uma abordagem voltada para a gestão de conflitos. A capacitação também contou apresentações de trabalho, onde os participantes trouxeram as principais dificuldades enfrentadas e com o conteúdo do curso mostraram como eles irão mudar a atual situação.

Adison Araújo, coordenador da base de Colônia Leopoldina, falou que a principal dificuldade da equipe é lidar com a população do município, que não entende como é o protocolo para acionar o Samu. “A população chega na Base Descentralizada pedindo atendimento e ficam com raiva quando não atendemos e explicamos que eles devem ligar primeiro para o número 192. Essa falta de conhecimento é ruim para o nosso serviço e para as vitimas que muitas vezes vão por meios próprios e isso pode prejudicar o paciente”.

Como forma de resolver essa situação o coordenador está em contato com os postos de saúde, rádios locais e desenvolvendo simulações para que a população de Colônia Leopoldina e da região entendam que o acionamento do Samu deve ser feito por meio do número 192.

Segundo, Tatiana Almeida, enfermeira e instrutora do NEP, os coordenadores também participaram de uma parte prática e a postura de liderança foi avaliada em três situações diferentes. “O exercício desenvolvido para abordar a liderança nas ocorrências do Atendimento Pré-Hospitalar, para que a assistência seja feita de maneira eficaz, trazendo maior benefício para a vítima”, disse a instrutora.

Os profissionais tiveram que coordenar a equipe em simulações com a queda de uma gestante, o atropelamento de um idoso e uma queda de bicicleta de um rapaz.

relacionadas

CIB