SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Sesau apoia curso para manejo de pacientes com câncer bucal

Imprimir esta Notícia


Repórter: Marcel Vital

Repórter Fotográfica: Carla Cleto

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) participou, nesta segunda-feira (17), da capacitação do III módulo de Qualificação em Câncer de Boca: diagnóstico diferencial do câncer de boca e manejo odontológico dos pacientes oncológicos, promovido pelo Centro Universitário Cesmac. O evento, voltado para cirurgiões-dentistas da rede pública de Alagoas, aconteceu no auditório do Campus I do Cesmac, localizado no bairro Farol, em Maceió.

Durante o evento, os profissionais analisaram suas práticas, adquiriram e geraram conhecimento, além de estarem em contato com inovações relevantes e aplicáveis em saúde odontológica. Foram abordados temas relevantes, com renomados especialistas, atuantes e envolvidos como os assuntos tratados. Além da Sesau e do Cesmac, também estão envolvidos no projeto o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), Ministério da Saúde (MS), Pró-Reitoria de Pós-Graduação (Propg) e Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

De acordo com a odontóloga Sônia Ferreira Bastos, a capacitação nasceu dentro de uma perspectiva de melhorar a habilidade dos cirurgiões-dentistas da Atenção Básica de Saúde, a fim de que eles possam fazer o diagnóstico do câncer de boca num estágio precoce. “Nós fizemos um estudo prévio e descobrimos que 80% dos casos de câncer bucal em Alagoas estão sendo diagnosticados em estágio avançado, dificultando as possibilidades de sobrevida e aumentando, dessa forma, a morbidade e as chances de tratamento”, destacou.

Segundo ela, por conta deste percentual, a equipe foi desenvolvendo algumas atividades, como, por exemplo, cartilhas para pacientes e atlas para os profissionais. No entanto, faltava a capacitação dos profissionais. “Nós fizemos um projeto, na qual foi submetido à Fapeal [Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas], por meio de um convênio com o PPSUS [Programa Pesquisa para o SUS], iniciativa de fomento à pesquisa em saúde nas Unidades Federativas. Fomos aprovados e estamos promovendo esse curso em três módulos desde o ano passado. Com isso, estamos aumentando a habilidade de conhecimento ao longo das capacitações. A cada módulo, voltamos ao que foi dito anteriormente e chamamos a atenção para um determinado ponto. É uma parceria bastante rica com todos os setores envolvidos”, salientou.

Além de Sonia Ferreira Bastos, palestraram Vanessa Batista, mestre e doutora em patologia; Andréa Tatiane Oliveira, oncologista; e Matheus Henrique de Lima, mestre em oncologia pela Fundação Antônio Prudentes do  A.C. Camargo. Também estão envolvidos no projeto Catarina Rosa de Oliveira e Camila Beder, professoras do Cesmac.

A apoiadora da assessoria técnica de Saúde Bucal da Sesau, Cybelle França, disse que o câncer bucal, quando identificado precocemente, tem condições de alcançar a cura. Por isso, ela explicou que é importante que os dentistas saibam identificar as lesões bucais consideradas cancerizáveis, para que possam ser tomadas as medidas mais adequadas com relação ao tratamento.

Segundo a profissional, existem fatores que são predisponentes para o desenvolvimento do câncer de boca, são eles: o fumo, o álcool em excesso, as próteses mal adaptadas e a exposição ao sol, visto que ele é um fator principal para o surgimento do câncer labial. “Há uma série de fatores que ocasionam várias manifestações bucais e que precisam ser avaliados. Portanto, os pacientes precisam receber orientação, a fim de que eles previnam futuras lesões que podem ser tornar malignas”, orientou.

Cybelle França enfatizou que o tratamento para o câncer bucal existe. Contudo, isso vai depender do estágio em que a lesão for detectada. “Quando é diagnosticado em fase inicial, há grandes chances de tratamento e, consequentemente, de cura. Mas, infelizmente, o que observo hoje, é que alguns pacientes chegam num estágio muito avançado, onde não se tem mais condições de intervir. Nessa situação, é aplicado apenas o tratamento paliativo, no sentido de cuidados para melhorar a qualidade de vida ou minimizar o sofrimento do paciente”, ressaltou.

Para a apoiadora da assessoria técnica de Saúde Bucal da Sesau, a prevenção é a palavra-chave para evitar fatores predisponentes – sobretudo com orientações de cuidados com a higiene bucal –, que até os próprios pacientes desconhecem. “Às vezes, os pacientes têm o hábito de usar próteses por 10 ou 15 anos. O que eles não sabem, é que existe um tempo de vida útil delas; pois, qualquer tipo de irregularidade que ocorra com essas próteses, de modo que esteja machucando a mucosa, pode, conforme o tempo for passando, vir a provocar uma lesão e, futuramente, um câncer bucal”, conclui Cybelle.

Além de Maceió, os municípios que integram a I Macrorregião de Saúde são Barra de São Miguel, Barra de Santo Antônio, Coqueiro Seco, Flexeiras, Marechal Deodoro, Messias, Paripueira, Pilar, Rio Largo, Santa Luzia do Norte, Satuba, Jacuípe, Japaratinga, Maragogi, Matriz de Camaragibe, Passo de Camaragibe, Porto Calvo, Porto de Pedras, São Luiz do Quitunde, São Miguel dos Milagres, Branquinha, Campestre, Colônia Leopoldina, Ibateguara, Joaquim Gomes, Jundiá, Murici, Novo Lino, Santana do Mundaú, São José da Laje e União dos Palmares.

Também integram a I Macrorregião de Saúde os municípios de Atalaia, Cajueiro, Capela, Chã Preta, Mar Vermelho, Paulo Jacinto, Pindoba, Quebrangulo, Viçosa, Anadia, Boca da Mata, Campo Alegre, Junqueiro, Roteiro, São Miguel dos Campos, Teotônio Vilela, Coruripe, Feliz Deserto, Igreja Nova, Jequiá da Praia, Penedo, Piaçabuçu, Porto Real do Colégio e São Brás.

O curso continuará nesta terça-feira (18), das 8h às 12h, no auditório do Colégio Bom Conselho, em Arapiraca, com a 7ª, 8ª, 9ª e 10ª Regiões de Saúde, formadas pelos municípios de Arapiraca, Batalha, Belo Monte, Campo Grande, Coité do Nóia, Craíbas, Feira Grande, Girau do Ponciano, Jacaré dos Homens, Jaramataia, Lagoa da Canoa, Limoeiro de Anadia, Major Isidoro, Olho D’Água Grande, São Sebastião, Taquarana, Traipú, Belém, Cacimbinhas, Estrela de Alagoas, Igaci, Maribondo, Minador do Negrão, Palmeira dos Índios, Tanque D’Arca, Canapi, Carneiros, Dois Riachos, Maravilha, Monteirópolis, Olho D’Água das Flores, Olivença, Ouro Branco, Palestina, Pão de Açúcar, Poço das Trincheiras, Santana do Ipanema, São José da Tapera, Senador Rui Palmeira, Água Branca, Delmiro Gouveia, Inhapi, Mata Grande, Olho D’Água do Casado, Pariconha e Piranhas.

relacionadas

CIB