SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Sesau faz testagem de hepatites virais para moradores de rua

Imprimir esta Notícia

Repórter: Marcel Vital

Repórter Fotográfico: Olival Santos

Com o propósito de reforçar as iniciativas de vigilância, prevenção e controle do agravo das infecções sexualmente transmissíveis (IST), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), juntamente com Superintendência de Vigilância em Saúde (Suvisa), ofertou, na tarde desta segunda-feira (29), a testagem rápida para HIV, sífilis e hepatites virais aos moradores de rua da capital. A iniciativa, em alusão ao “Julho Amarelo” – mês de conscientização e prevenção às hepatites virais –, aconteceu na Praça Multieventos, localizada na praia de Pajuçara, em Maceió.

A ação teve a finalidade de divulgar informações sobre sinais e sintomas das hepatites virais, bem como, chamar a atenção da população para a importância de tomar a vacina contra a hepatite B e fazer os testes rápidos que estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde e nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), pois as hepatites virais são doenças silenciosas que podem levar anos para se manifestar. O mês, instituído em 2010 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), é chamado assim em função da cor amarelada que geralmente tonaliza os olhos dos pacientes acometidos por alguns dos tipos da doença.

“Muito importante chamar atenção sobre o cuidado com as hepatites virais. Por isso mesmo, a informação é fundamental para que a nossa população fique atenta, especialmente com os cuidados simples e que podem auxiliar em muito na prevenção. É o mês de reafirmar ações contundentes sobre o assunto. E que cada um possa ser um multiplicador destes cuidados”, disse a responsável pela área de Hepatites Virais da Sesau, enfermeira Silvania Souza.

Ela fez uma avaliação positiva da ação, pois, graças ao evento, as pessoas podem descobrir que têm a doença e ser encaminhadas para os centros de referência e iniciar imediatamente o tratamento, já que a hepatite C tem cura. Silvania ressaltou, ainda, que quando não tratadas, as hepatites virais podem causar a cirrose hepática ou câncer primário de fígado.

O servente de pedreiro Fábio Teixeira Santos, de 39 anos, disse que tomou conhecimento da ação pelos amigos e decidiu fazer o teste porque se preocupa com a prevenção de doenças. “Embora eu nunca tenha ouvido falar em hepatite, é preciso se precaver para poder combater essas doenças”, disse ele, após a receber o resultado do exame com um kit contendo preservativos e material educativo.  

O morador de rua Jailton Silva de Lima, de 24 anos, também atendeu ao chamado da equipe da Sesau e fez o teste rápido em função da desinformação sobre o assunto. Durante o procedimento, ele ficou de olhos abertos e ouvidos atentos a tudo que lhe era explicado.

“Uma ação como essa possibilita às pessoas saberem de forma gratuita se têm ou não a doença. Eu acho que os homens deveriam cuidar melhor da sua saúde, assim como as mulheres fazem para poder levar uma vida mais saudável”, opinou Lima.

Transmissão – As hepatites virais são inflamações do fígado causadas por cinco diferentes tipos de vírus: A, B, C, D e E. As hepatites B, C e D são transmitidas por sangue contaminado, relação sexual desprotegida e da mãe infectada para o filho. As hepatites B e C são consideradas as mais graves porque podem evoluir para cirrose ou câncer de fígado, sendo que a hepatite D só ocorre em quem tem hepatite B. As hepatites A e E são transmitidas por água ou alimentos contaminados por fezes com os vírus, sendo que a hepatite A pode ser transmitida também por sexo oral sem preservativo.

Por serem doenças silenciosas, na maioria das vezes não apresentam sinais e sintomas, mas quando se manifestam, sobretudo a hepatite A, o indivíduo pode apresentar fadiga, falta de apetite, enjoo, vômitos, urina escura, fezes esbranquiçadas, pele e olhos amarelados (icterícia), dor no estômago e diarreia.

Dados – Segundo dados do Ministério da Saúde (MS), no primeiro semestre deste ano foram diagnosticados 138 alagoanos com hepatites virais, contra 150 no mesmo período do ano passado. Em todo o ano de 2018 foram 314 notificações.

Serviço – Para o tratamento das hepatites virais, o Estado oferta assistência nos cinco serviços de referência, localizados em Palmeira e Arapiraca, no interior, e no Hospital Escola Dr. Helvio Auto (HEHA), PAM Salgadinho e Hospital Universitário, em Maceió.

relacionadas

CIB