SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

HGE orienta servidores sobre a importância da saúde mental

Imprimir esta Notícia

Repórter: Thallysson Alves

Repórter Fotográfico: Thallysson Alves

Pode ter encerrado nesta sexta-feira (31) as ações do Janeiro Branco, mas o Hospital Geral do Estado (HGE) não interrompe as ações que visam à valorização da vida, a manutenção da saúde mental, a qualidade dos relacionamentos, a atenção na forma como lidamos com as emoções. Durante esse mês, várias ações foram realizadas com servidores, acompanhantes e pacientes; e nos próximos dias os cuidados continuam com a liderança da equipe de psicologia.

O objetivo é acolher e melhor atender cada usuário. A coordenadora da psicologia do HGE, Tasmânia Quintela, explica que as atividades com pacientes e acompanhantes acontecem durante a fase de internação e período de visitas, onde eles têm acesso a informações, oportunidade para esclarecer dúvidas e sensibilidade para espalhar o aprendizado.

“No mês de janeiro buscamos reforçar as atividades que executamos durante todo o ano, sempre abordando temáticas que observamos no cotidiano. Recordamos que quem cuida da mente, cuida da vida. Que uma mente sadia é também um corpo saudável. Que as coisas se tornam mais fáceis para serem enfrentadas quando estamos com nossa cabeça no lugar. E é importante que todos nós percebamos que, quando cuidamos de si, automaticamente isso ajuda a cuidarmos do outro”, disse o psicóloga.

Mas para encerrar o mês de janeiro, os servidores do maior hospital do Estado foram contemplados com uma seção de arteterapia, ofertada pela psicóloga Fátima Pereira, após convide feito pelo psicólogo Sidney Santos, do setor Qualidade de Vida no Trabalho (SQVT). Ela explica que o uso da arte como base de um processo terapêutico propicia resultados em um breve espaço de tempo.

“O objetivo é estimular o crescimento interior, abrir novos horizontes e ampliar a consciência do indivíduo sobre si e sobre sua existência. Quando as palavras não conseguem expressar o que a pessoa sente, a arte serve de recursos para o processo de catarse, o reconhecimento do que incomoda nas profundezas do ser, trazendo alívio e leveza para a vida cotidiana”, explicou a psicóloga convidada.

Atividades de orientação e reflexão também estão incluídas entre os serviços oferecidos no hospital. Segundo Tasmânia Quintela, a psicoeducação é fundamental na prevenção e no auxílio dos cuidados.

“Porque há sofrimentos que podem ser prevenidos, dores que podem ser evitadas, violências que podem ser impedidas ou reparadas. Tão importante quanto às pessoas falarem é encontrar em quem escuta a capacidade de ouvir, aconselhar e melhor ajudar. É também disso o que o mundo hoje precisa para que a humanidade conquiste mais amor e senso de responsabilidade”, enfatizou a coordenadora.

relacionadas

CIB