SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Central de Transplantes

CENTRAL DE TRANSPLANTES

É a unidade responsável pela coordenação das atividades de transplantes a nível estadual, promovendo a inscrição de potenciais receptores de órgãos e tecidos. Tem como atribuição comunicar ao sistema nacional de transplantes (snt) as inscrições efetuadas para a organização da lista nacional de receptores; receber notificações de morte cerebral ou morte por coração parado e determinar o encaminhamento e providenciar o transporte de órgãos e tecidos para os centros transplantadores, instituições de saúde autorizadas pelo SNT.

Contato

Gestão: Carmem Alice Dantas

Prédio anexo ao Hospital Geral do Estado (HGE)

Telefone: (82) 3376-8186

Como posso ser doador?

Atualmente, para ser doador não é necessário deixar nada por escrito, em nenhum documento. Basta comunicar sua família do desejo da doação. A doação de órgãos só se efetiva após autorização familiar, conforme a lei 10.211 de 23 de março de 2001.

Quando aceitamos a doação dos nossos órgãos e tecidos, decidimos pela vida de milhares de pessoas. Com esse gesto, os primeiros beneficiários somos nós mesmos, que assumimos uma postura digna diante da vida, além do que, nós também estamos sujeitos a necessidade de um transplante.

Quando os médicos indicam um transplante?

Os transplantes apenas são indicados quando todas as outras terapias foram consideradas ou excluídas. Nesses casos, em geral, os transplantes constituem-se na única alternativa de sobrevivência e/ou de melhoria da qualidade de vida.

Não é o propósito dessa página descrever as doenças que levam a uma indicação de transplante, mas algumas indicações são necessárias. Os transplantes são indicados para resolver os problemas de mau funcionamento de um órgão.

Qual a chance de sucesso dos transplantes?

É alta. Mas muita coisa depende de particularidades pessoais, o que não permite uma resposta genérica. Por exemplo, pessoas que fizeram transplante de rim há mais de 25 anos, tiveram filhos e levam uma vida ativa normal.

Tipos de Doação

Doação em Vida

Como doadores vivos, pessoas saudáveis podem doar um dos rins, parte do fígado e pulmão, além da medula óssea. A lei prevê que a doação pode ser feita por parentes até o 4º grau. Se não houver vínculo familiar, a retirada de parte dos órgãos citados só poderá ser feita após autorização da justiça. A doação em vida só deve ser feita com órgãos duplos e partes de órgãos cuja retirada não impeça o doador de levar uma vida normal, sem o comprometimento de suas funções.

Medula Óssea

A medula óssea é a matriz do sangue, ela contém as células mãe que dão origem aos glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e plaquetas. A medula se localiza na parte interna dos ossos, é o que nós conhecemos como o tutano do osso do boi.

O transplante de medula óssea (TMO) é uma terapia de muita eficácia para muitas doenças, e não só para leucemia, como costumamos imaginar. Outras doenças, como câncer ósseo, anemias hereditárias (como a falciforme) e a deficiência congênita do sistema imunológico são algumas entre várias outras tratadas com o TMO.