Palestra sobre combate a incêndios orienta profissionais acerca de riscos e precauções

Ao perceber um princípio de incêndio, deve-se imediatamente sair do local e chamar o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193.
Foto: Ascom / HGE
Palestra sobre combate a incêndios orienta profissionais acerca de riscos e precauções
As causas de incêndio incluem descargas elétricas e atmosféricas e sobrecarga nas instalações elétricas dos edifícios
Repórter:
Neide Brandão

Em uma ação de educação e prevenção, o Hospital Geral do Estado (HGE), em parceria com o Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas, promoveu uma palestra informativa para os profissionais da unidade hospitalar sobre combate a incêndios. O evento encerrou a Semana de Prevenção de Acidentes de Trabalho, que objetivou alertar sobre a importância da redução dos riscos ocupacionais.

O soldado William Simões explicou que as causas de um incêndio são as mais diversas, desde descargas elétricas e atmosféricas à sobrecarga nas instalações elétricas dos edifícios e falhas humanas por descuido, desconhecimento ou irresponsabilidade.

“Os cuidados básicos incluem situações óbvias como habituar-se a apagar os palitos de fósforos antes de jogá-los fora, obedecer às placas de sinalização e não fumar em locais proibidos, mal ventilados ou ambientes sujeitos à alta concentração de vapores inflamáveis, tais como vapores de colas e de materiais de limpeza. Lembrando que a sobrecarga nas instalações elétricas é uma das principais causas de incêndios”, alertou.

De acordo com o especialista, também é fundamental verificar possíveis vazamentos no botijão, trocando-o imediatamente caso constate a mínima irregularidade. “O botijão que estiver visualmente em péssimo estado deve ser, imediatamente, recusado. Nunca tente improvisar maneiras de eliminar vazamentos, como cera, por exemplo. Coloque os botijões sempre em locais ventilados. E, para verificar vazamentos, nunca use fósforos ou chama, apenas água e sabão”, orientou o soldado.

Ao perceber um princípio de incêndio, deve-se imediatamente sair do local e chamar o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193. A saída deve ser efetuada pelas escadas, caso se esteja em prédios com andares. Nunca usar elevadores e jamais subir escadas, deve-se sempre descê-las.

“Se tiver que atravessar uma região em chamas, procure envolver o corpo com algum tecido molhado não-sintético. Isso dará proteção ao seu corpo e evitará que se desidrate. Proteja os olhos e a respiração; são as partes mais sensíveis que a fumaça provocada pelo fogo pode atingir primeiro. E para sair de um local coberto com fumaça, arraste-se pelo chão, não se precipite indo em pé, a fumaça é menor nas regiões mais baixas”, aclarou Simões.

Durante a palestra foram abordados temas como princípios e elementos do fogo, classes de incêndio, tipos de extintores, métodos de combate a incêndio e atendimento pré-hospitalar com foco em queimaduras. O soldado também explicou sobre o uso correto de extintores, classe de incêndio e sobre os diferentes tipos de extintores.

Na ocasião, foi avaliada a criação de uma Brigada de Combate a Incêndio no HGE, cabe a esta equipe a vistoria semestral nos equipamentos de prevenção e combate a incêndios, assim como o treinamento de abandono de prédio pelos usuários.

A ideia foi bem recebida pela equipe presente. “Num hospital, além da segurança dos profissionais, há o fundamental, que é a manutenção da vida dos pacientes. É salutar para o hospital, diria até fundamental. Faremos o possível para colocar em prática essa sugestão”, afirmou Rosângela Cavalcante, coordenadora Administrativa da Seção de Saúde Ocupacional do HGE.

Treinamento específico - A Brigada de Incêndio, devidamente dimensionada de acordo com a população existente na unidade, é basicamente um grupo organizado de pessoas que são especialmente capacitadas para que possam atuar numa área previamente estabelecida, na prevenção, abandono e combate a um princípio de incêndio, e que também estejam aptas a prestar os primeiros socorros a possíveis vítimas.



Fonte: Ascom / HGE


Outras Imagens

Palestra sobre combate a incêndios orienta profissionais acerca de riscos e precauções