Ministério da Saúde adia Campanha de Vacinação Antirrábica em Alagoas

Adiamento foi motivado pelo atraso na entrega da vacina Tecpar
Foto: Divulgação
Ministério da Saúde adia Campanha de Vacinação Antirrábica em Alagoas
Campanha visa imunizar 507.883 mil cães e gatos em Alagoas
Repórter:
Josenildo Torres

Por conta de um atraso na entrega da vacina Tecpar, o Ministério da Saúde (MS) suspendeu a Campanha de Vacinação Antirrábica, que estava programa para ocorrer neste sábado (9) e iria imunizar 507.883 mil cães e gatos. O problema foi gerado porque as doses estão passando por um processo de filtração, visando retirar as proteínas heterólogas bovinas, que ocasionam, no ano passado, quadros de anafilaxia em cães e gatos.

A decisão foi adotada depois de uma análise realizada pelo Laboratório de Imunobiológicos e Biofármacos da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP). Como resultado, verificou-se a existência de grande concentração de proteínas heterológas bovinas, consideradas estimuladoras de quadro de anafilaxia.

De acordo com o responsável técnico pelo Programa Estadual de Controle da Raiva, Valmir Costa, o MS ainda não informou quando a Campanha de Vacinação Antirrábica será realizada em Alagoas. “Fomos informados que o ministério comprou 10 milhões de doses do laboratório Merial, que é importado, mas elas serão destinadas aos estados do Ceará e Maranhão, onde foram registrados casos de raiva humana em 2010 e 2011, respectivamente”, frisou.

Valmir Costa assegurou, no entanto, que todos os técnicos municipais foram informados sobre o adiamento da Campanha de Vacinação Antirrábica. “Solicitamos que sejam intensificadas as buscas nos municípios e que, em casos suspeitos, sejam notificados 24 horas, conforme especifica a portaria 104 de 25 de janeiro deste ano”, disse.

Ele recomendou que, “em caso de agressão por cães, gatos e outros animais, a pessoa exposta deve ser orientada a lavar o ferimento com água e sabão, além de procurar imediatamente assistência médica”. O responsável técnico pelo Programa Estadual de Controle da Raiva também recomendou que é importante “notificar e investigar caso de atendimento antirrábicohumano, monitorar o tratamento adequado e oportuno e recolher os animais errantes”.

A Raiva – Caracterizada por ser uma doença infecciosa aguda, que uma vez instalada é sempre fatal, já que não há tratamento específico para ela, a raiva humana é causada por um vírus que se alastra pelo sistema nervoso de animais domésticos ou selvagens, a exemplo de cães, gatos, macacos, morcegos e do homem. Há cinco anos ela não faz nenhuma vítima decorrente da mordida de felinos e caninos em Alagoas, segundo dados da Coordenação do Programa de Controle da Raiva.

A transmissão da doença ocorre pela saliva do animal contaminado pelo vírus da raiva, através de lesão da pele do novo hospedeiro, a exemplo de uma arranhadura, mordida ou lambida do animal doente. Diante desta realidade, o coordenador do Programa de Controle da Raiva da Sesau, Valmir Costa, alerta que apenas a vacinação é o instrumento de controle da doença, já que ela impede que o vírus atinja o ser humano e provoque óbitos.



Fonte: Ascom / Saúde


Boletins

Dengue

Número do Boletim: Sem_13_2014
Número do Boletim: Sem_12_2014
Número do Boletim: Sem_11_2014
Número do Boletim: Sem_10_2014

Epidemiológico

Número do Boletim: 03/2014
Número do Boletim: Nº1_2014
Número do Boletim: 1_2014
Número do Boletim: 02/2014

Gestor

Mortalidade Infantil

DST/AIDS

Promoção da Saúde

Número do Boletim: 2
Número do Boletim: 1

Séries Históricas

Número do Boletim: 01.2012
Número do Boletim: 01.2012
Número do Boletim: 01.2012
Número do Boletim: 01.2012
Número do Boletim: 01.2012
Número do Boletim: 01.2012

Notas Técnicas

Resoluções