Secretaria de Estado
da Saúde

Secretaria de Estado da Saúde
Pesquisar
Close this search box.

Sesau entrega testes rápidos de hanseníase para 38 municípios com casos confirmados da doença

[print-me target=”#titulo_post, #metadados_post, #texto_post, #rodape_site” /]

Repórter: Fabiano Di Pace
Repórter Fotográfica: Carla Cleto

Testes Rápidos de Hanseníase são realizados com gota de sangue do dedo polegar e resultado sai em até 20 minutos

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesau) entregou, nesta segunda (22), 142 kits de testes rápidos para contatos de pacientes acometidos pela hanseníase, doença que atinge os nervos e a pele, é altamente contagiosa e pode provocar incapacidades físicas irreversíveis. A distribuição dos insumos ocorreu no auditório da Academia da Polícia Militar de Alagoas (PM/AL), no bairro Trapiche, em Maceió, beneficiando 38 dos 102 municípios alagoanos que já diagnosticaram casos da doença no período de janeiro a abril deste ano.

Os testes rápidos serão realizados nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) designadas pelas Secretarias Municipais de Saúde. Os demais municípios alagoanos irão receber os kits com testes rápidos de hanseníase a partir do momento que confirmarem casos da doença e realizarem a solicitação ao Ministério da Saúde, via Sistema de Insumos Estratégicos de Saúde.

Segundo a coordenadora do Programa Estadual de Controle da Hanseníase, enfermeira Itanielly Queiroz, todos os municípios contemplados com os kits de testes rápidos tiveram as equipes capacitadas. “Com isso, elas já estão aptas a realizarem os testes na população, seguindo todos os critérios técnicos necessários. Assim como ocorre com o teste rápido de HIV e Sífilis, por exemplo, o teste rápido da hanseníase ocorre com a coleta de sangue realizada através do dedo polegar de uma das mãos e o resultado sai em até 20 minutos”, explicou.

Itanielly Queiroz salienta que o Teste Rápido de Hanseníase é indicado para contatos de pacientes acometidos pela doença

Itanielly Queiroz ressaltou que os testes não são indicados para diagnóstico, e sim para triagem de pessoas que tiveram contatos prolongados com pacientes identificados com a hanseníase. “Quando uma pessoa é diagnosticada, são realizados exames clínicos nas pessoas que porventura residam com o paciente. Se o exame clínico não detectar a doença, é realizado o teste rápido”, destacou.

Ela lembrou, ainda, que mesmo nos casos negativos é realizado um acompanhamento anual das pessoas que possuem contato próximo com os pacientes. “Essas avaliações são realizadas anualmente por cinco anos, e são essenciais para assegurar a segurança clínica das pessoas expostas”, declarou.

A coordenadora do Programa Estadual de Controle da Hanseníase ressaltou que o diagnóstico e o tratamento da doença são completamente assegurados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) nas UBS’s dos municípios. Para isso, as equipes estão devidamente preparadas para acolher e orientar os pacientes dentro dos princípios técnicos e de humanização que regem o atendimento em saúde.

Além da capital alagoana, foram beneficiados os municípios de Arapiraca, Atalaia, Barra de Santo Antônio, Cajueiro, Campo Alegre, Canapi, Colônia Leopoldina, Coqueiro Seco, Coruripe, Craíbas, Delmiro Gouveia, Feliz Deserto, Ibateguara, Igreja Nova, Inhapi, Limoeiro de Anadia, Maragogi e Marechal Deodoro. Também foram contemplados Mata Grande, Monteirópolis, Olho d’Água das Flores, Olho d’Água do Casado, Palestina, Palmeira dos Índios, Pão de Açúcar, Passo do Camaragibe, Penedo, Pilar, Rio Largo, Santana do Ipanema, São José da Tapera, São Luís do Quitunde, Taquarana, Teotônio Vilela, Traipu, União dos Palmares e Viçosa.

Representantes das Secretarias Municipais de Saúde foram capacitados para realização do Teste Rápido da Hanseníase

Transmissão, Sintomas e Tratamento

A hanseníase é transmitida pelas vias aéreas superiores, no caso das pessoas que convivem com pacientes na forma avançada da doença, e que não estão em tratamento. “A transmissão é interrompida com 72 horas após a primeira dose supervisionada do tratamento, que dura de 6 a 12 meses”, explica a coordenadora do programa.

Entre os principais sinais e sintomas da doença estão o aparecimento de manchas brancas e avermelhadas na pele e comprometimento dos nervos periféricos. “A pessoa acometida pela doença também pode sentir sensação de formigamento nas mãos e pés, diminuição ou perda da sensibilidade e nódulos no corpo, alguns deles, dolorosos”, salientou Itanielly.

Atualizada em:

Leia também

Saúde

Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas

Av. da Paz, 978 – Jaraguá, Maceió – AL, 57022-050.
+55 82 3315-1102
Desenvolvido pela Gerência Executiva de Tecnologia da Informação
Governo do Estado de Alagoas ©2020-2022

Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas

Menu

Mídias Sociais